OS MILAGRES DE JESUS – 10 – UMA VISÃO ESPÍRITA

Padrão

A CURA DO SERVO DO CENTURIÃO

5 E, entrando Jesus em Cafarnaum, chegou junto dele um centurião, rogando-lhe,

6 E dizendo: Senhor, o meu criado jaz em casa, paralítico, e violentamente atormentado.

7 E Jesus lhe disse: Eu irei, e lhe darei saúde.

8 E o centurião, respondendo, disse: Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado, mas dize somente uma palavra, e o meu criado há de sarar.

9 Pois também eu sou homem sob autoridade, e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu criado: Faze isto, e ele o faz.

10 E maravilhou-se Jesus, ouvindo isto, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que nem mesmo em Israel encontrei tanta fé.

11 Mas eu vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e assentar-se-ão à mesa com Abraão, e Isaque, e Jacó, no reino dos céus;

12 E os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.

13 Então disse Jesus ao centurião: Vai, e como creste te seja feito. E naquela mesma hora o seu criado sarou. Mateus 8:13

Ver também  Lucas 7.1-10

COMENTÁRIOS

 

Mais um caso em que Jesus enfatiza profundamente o valor da fé.

Um centurião está com um dos seus servidores gravemente enfermo. Muito respeitado por pessoas religiosas que o conheciam,  em função de  boas obras que fazia (isso está escrito no evangelho de São Lucas), elas chegaram a interceder por ele: Jesus se sensibiliza e se dispõe a ir visitá-lo.

“Eu irei, e lhe darei saúde”.

Homem humilde, conquanto poderoso, o centurião se opõe, demonstrando profunda fé, embora servisse às hostes romanas:

“Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado, mas dize somente uma palavra, e o meu criado há de sarar.”

Jesus fica admirado com tanta fé:

“Em verdade vos digo que nem mesmo em Israel encontrei tanta fé. “

O centurião transmitiu o alicerce de tanta fé, demonstrando que acreditava no poder de Jesus por pressupor,  talvez.  a ligação que certamente haveria entre Jesus e um grupo de espíritos elevados que o acompanhavam. Talvez até especulasse que se tratava de um caso de obsessão (“ …o meu criado jaz em casa, paralítico, e violentamente atormentado”. Mas, de qualquer forma declara a confiança que lhe vai dentro da alma:

“Pois também eu sou homem sob autoridade, e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu criado: Faze isto, e ele o faz.”

Talvez ele se referisse ao poder que Jesus tinha de manipular energias da natureza, supondo que o Mestre “mandasse” nessas energias, desse “”ordens” a elas.

Mas de qualquer forma Jesus surpreendeu-se com tamanha demonstração de confiança.

“Então disse Jesus ao centurião: Vai, e como creste te seja feito”

Nesse momento, a falange de espíritos da equipe de Jesus já deveriam ter feito o seu trabalho, certamente em sintonia espiritual com o Mestre.

Mais um detalhe nos surpreende: “Como creste te seja feito!. Quer dizer que o que recebemos dos bons espíritos o recebemos na PROPORÇÁO  da nossa fé?  Parece que sim!

Suponho eu que a nossa fé cria um ambiente magnético-espiritual que facilita  mais – ou menos –  a ação dos servidores do mundo invisível.  Quanto mais profunda for nossa confiança, mais energias produziremos para melhorar o ambiente em que os espíritos superiores atuarão. Numa fé artificial, demonstrada apenas superficialmente, pouco talvez possa ser feito. Mas num ambiente inundado pelo magnetismo de uma fé transbordante, os médicos espirituais realizariam suas curas mundo mais facilmente. Operariam o que costumamos chamar de “milagres”.

Por isso tantas vezes Jesus destacou a  fé demonstrada por quem lhe pedia alguma ajuda.

“A tua fé te salvou.”,   “Seja conforme creste.”

Isso sugere que podemos desenvolver nossa fé, podemos cultivá-la, engrandecê-la, escaloná-la, a tal ponto que ao pedir a ajuda de espíritos amigos, eles possam nos dizer, respondendo com suas ações em benefício de nós mesmos ou de alguém objeto de nossa sensibilidade e empatia: “Será feito conforme creste”.

“Será feito o que puder ser feito, em razão do estágio das provas e na proporção da fé real que estais demonstrando neste momento”.

NOTA: A foto que eu escolhi é uma cena do filme “Jesus de Nazaré”,  onde se destaca a esplêndida atuação do ator “Ernest Borgnine”, numa magistral interpretação do centurião que procura Jesus.

11-09-18

A cura do servo do centurião

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s